Fim de Sociedade Entre Empresários

Fim de sociedade entre empresários
Fim de sociedade entre empresários

Veja como sair bem de um fim de sociedade entre microempresários.
A abertura de um negócio próprio faz parte dos planos de muitos brasileiros, especialmente, aqueles que não estão satisfeitos com o salário atual, que querem fazer algo que traga realização profissional e pessoal e mais ainda, para os que enxergam ótimas oportunidades de ganhar dinheiro com uma situação específica. Tudo isso movimenta muitas pessoas rumo ao seu empreendimento. Em meio a tal realidade, o lema “a união faz a força” é levado a sério: irmãos se unem, colegas de trabalho fazem acordos e microempresários montam sociedade. São meses, talvez até anos de trabalho árduo, muita pesquisa, noites e noites debruçados sobre pilhas de planejamentos, grandes investimentos financeiros e de tempo até chegar à abertura das portas da empresa ao público. Mas e quando a parceria não dá certo? O que fazer se aquele seu sócio estava tão empenhado e agora simplesmente está deixando tudo nas suas mãos?

Como saber que chegou o fim de sociedade entre microempresários

O fim de sociedade aconteceu com Fátima Torres, que tinha uma loja de artigos para o lar com a madrinha da sua filha única. No início, as duas trabalhavam juntas e seguiam a mesma direção. Dividiram as tarefas para o negócio andar bem: enquanto Fátima fazia compras e visitava fornecedores, a sua ex-sócia ficava na loja atendendo os clientes.

Tudo corria muito bem até que os caminhos começaram a se separar. “Percebi que ela não estava caminhando como eu, com os mesmos propósitos. Ela achava que na qualidade de uma das donas poderia se acomodar um pouco e não vender. Por esse motivo, por perceber que somente eu estava correndo atrás, lutando para o sucesso do negócio, resolvi o fim de sociedade”, disse Fátima.

Um forte sinal de que a parceria está ruindo é exatamente o que aconteceu com a microempresária: a falta de atenção devida ao empreendimento por uma das partes. Além disso, há ainda o lado mais grave: quando esse comportamento chega ao nível da falta de sintonia entre os sócios. “O desentendimento pessoal entre os sócios e a mudança de objetivos é o marco para a separação de uma sociedade”, afirma Fábio Luis Borri, consultor da Borri Consultoria Empresarial, que presta serviços de consultoria às empresas.

Como sair bem do fim de sociedade entre microempresários

Depois de perceber esses sinais, o próximo passo é romper a união, o fim de sociedade, e talvez seja o momento mais complicado, especialmente, quando existe um laço familiar. Fátima Torres, por exemplo, optou por uma boa conversa, clara e objetiva com sua ex-sócia. “O momento exato foi um pouco delicado, mas conversamos, os custos foram divididos, assim como os lucros e hoje em dia somos boas amigas. Nenhuma mágoa ou ressentimento se faz presente na nossa relação”, afirmou.

Sua Ideia de Negócio é Lucrativa?

Saiba quais são as 4 Perguntas Poderosas que podem salvar seu negócio antes mesmo dele ser criado. Evite cometer os ERROS COMUNS dos empreendedores de primeira viagem. Saiba mais...

PS: No final eu apresento uma ferramenta que pode triplicar suas chances de sucesso com um negócio próprio. Clique aqui!.

 

O consultor orienta aqueles que estejam passando por isso. Esses devem ter sempre clareza na abertura do negócio, principalmente, quando há um parente envolvido. “A separação entre vida pessoal e profissional é bastante difícil e exige uma maturidade muito grande entre os sócios para saber diferenciar. Ademais, um problema de ordem pessoal ou profissional pode influenciar negativamente o relacionamento na outra esfera. Recomendo que, desde o início de uma sociedade empresarial com uma pessoa que tenha laços afetivos, fique clara essa separação. Ainda, antes de a situação problemática tornar-se crítica, aconselhamos o fim da sociedade de forma amigável” informa Borri.

Escolha um bom sócio e evite o fim de sociedade

A ansiedade em abrir um negócio é muito grande para quem sonha em não ser mais empregado e ganhar dinheiro com algo que realmente goste muito de fazer. Muitas vezes, essas pessoas acabam escolhendo montar uma empresa com algum familiar por ter muita afinidade afetiva com ele, mas isso não deve ser o determinante da escolha. De acordo com Borri, existem outras características que devem ser levadas em consideração. “Os sócios devem possuir objetivos em comum e estar cientes das qualidades e deficiências do outro sócio. Além disso, deve prevalecer o bem comum entre os sócios e a empresa. Não podemos deixar de descartar que também são características fundamentais a honestidade e a capacitação técnica dos sócios”, orienta.

Fátima não escolheu sua ex-sócia somente porque era da família, mas também por outros motivos. “O fato de poder incentivá-la a ter seu próprio negócio, a ter um trabalho digno, por ser da família e por confiarmos uma na outra, tudo isso contribuiu a tomar a decisão em relação à parceria” disse.

Para ela, o fim de sociedade entre as duas foi um verdadeiro aprendizado. Hoje a microempresária olha para a questão com outra visão e ainda aconselha aqueles que estão buscando um sócio para o negócio. “É preciso ter muita confiança e certeza de que a pessoa realmente está interessada, disposta a lutar pelo mesmo objetivo que o seu, caso contrário, não valerá a pena, visto que somente um sócio irá correr atrás dos principais objetivos, alcançando assim (sozinho) os resultados para a sua empresa. Com a sociedade, aprendi que é preciso saber lidar muito bem com as pessoas, cada um tem um ponto de vista, uma posição, uma colocação. É necessário ter paciência e às vezes deixar passar algumas coisas para que uma pequena discussão não termine com o negócio” aconselha.

Planeje-se para evitar fim de sociedade

De acordo com dados do Ministério do Planejamento, as microempresas representam 99% das empresas no Brasil, respondem por 67% dos empregos no país, geram seis vezes mais empregos do que as médias e grandes empresas e são responsáveis por aproximadamente 25% do PIB nacional. O Governo considera que elas são instrumentos de redução das desigualdades sociais, de eliminação da pobreza, de geração de renda e desenvolvimento econômico.

Por conta disso, quem vai abrir um negócio deve saber que fará parte de uma realidade social e econômica vital para o Brasil, sendo assim, muito planejamento é fundamental antes de tocar o seu próprio empreendimento, inclusive, a definição de um bom sócio para evitar maiores dificuldades e possível fim de sociedade da microempresa.

Que tal nossas dicas de como sair bem do fim de sociedade entre empresários?

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

 

► Dica Importante!


Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Estude em livros, contrate uma consultoria, use o Kit Como Abrir Um Negócio, enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!


 

DEIXE UMA RESPOSTA