Plano de Negócios: Roteiro Prático, Mapa Mental e Tamanho Ideal

Um plano de negócios é um documento escrito que orienta a criação de um novo negócio ou uma nova unidade de um negócio já existente. É através dele que você vai mensurar suas ações na abertura do seu negócio.

Para muitos colegas, o plano de negócios é o mapa que irá conduzi-lo ao sucesso no mundo dos negócios.

Plano de Negócios
Basicamente o plano de negócios diz aonde você quer ir e como chegar lá.

Sem um plano de negócios você não tem objetivos iniciais escritos e não consegue medir seu sucesso após abrir as portas, pois você não tem base de comparação.

“Se você não sabe onde vocÊ quer ir, nunca saberá quando chegar ao seu destino.”

Criar um plano de negócio também ajuda a minimizar os riscos, reduzir as incertezas e evitar erros comuns na abertura do próprio negócio.

Antes de mais nada, deixa eu lhe dizer uma coisa: cuidado Com Planos Prontos. Muitas pessoas me perguntam se eu tenho um “plano de negócios para o negócio XYZ”.

Você até poderia procurar um plano de negócios pronto na internet, mas certamente ele não servirá para você. Pois, tamanhas são as diferenças e particularidades de cada negócio que um plano pronto, mesmo para o mesmo tipo de negócio, não pode ser reutilizado.

E também porque no processo de criação do plano de negócios você aprende muito sobre o negócio. E este aprendizado é essencial para conduzir o negócio depois de iniciado.

Porque Você Precisa De Um Plano de Negócios?

Talvez você tenha uma ideia de negócio e queira coloca-la no papel através de um plano de negócios. Ou talvez você queira crescer sua empresa e está em busca de um planejamento empresarial. Ou quem sabe você queira apenas fazer um trabalho escolar.

Para iniciar um novo negócio ou uma nova unidade de negócio de uma empresa existente, você usa o plano de negócios. Já para fazer o planejamento da sua empresa atual, você deve usar o planejamento estratégico.

O fato, é que existem situações em que um plano de negócio é o ideal e outras onde ele é perda de tempo. E muitas vezes até perda de dinheiro. Mais adiante vou lhe mostrar as situações onde você não deve fazer um plano de negócios.

Mas, antes, veja os motivos pelos quais precisa de um plano de negócios:

  • Entender como funciona o seu negócio;
  • Estabelecer metas e formas de cumpri-las;
  • Diminuir os erros com um planejamento eficaz;
  • Ter um guia de como fazer a sua empresa prosperar.

 

Os Desafios Para Se Criar Um Plano de Negócios Eficaz

Confesso que por muito tempo eu achei confuso fazer um plano de negócios. Mesmo quando eu inicie meu trabalho no SEBRAE, ainda na época da faculdade de administração.

E como, talvez, as dificuldades que eu tive sejam as suas dificuldades hoje, vou enumerá-las abaixo.

Três dificuldades fazem o plano de negócios parecer complicado e, por vezes, fantasioso:

  1. No início, temos que assumir suposições. São hipóteses de vendas, de custos, de comportamento do consumidor, entre outras.
  2. Tentar preencher o plano de negócios linearmente. Isto é, em sequência do começo ao fim.
  3. Criar um plano de negócios exige conhecimentos de diversas disciplinas.

Passo agora a detalhar cada uma das dificuldades da criação de um plano de negócios efetivo.

1. Hipóteses E O Salto De Fé (Leap Of Faith)

Plano de Negócios: Premissas, Leap of Faith
Peso x impulso x distância. O peso dá pra saber, a distância também, mas e o impulso como descobri-lo? … Ou Salto de fé!

Hipótese: Algo não comprovado que precisa ser verdadeiro para que seu negócio funcione. Algumas hipóteses tem o poder de detonar sua ideia de negócio. Outras apenas exigem alguma adaptação do modelo de negócios.

Algumas vezes, na ausência de informação, você precisará assumir determinadas hipóteses para concluir seu plano de negócios. E isso faz parecer que o plano de negócios é sem fundamentação no mundo real, que é algo inventado.

Nestes casos, você precisa encontrar maneiras de validar estas hipóteses através de pesquisas e testes de mercado.

Caso Real de Uma Startup Online

Por exemplo, para uma startup de vendas de roupas online, que estou trabalhando com um cliente, precisamos validar uma hipótese crucial para o negócio:

► Mulheres compram roupas de alto padrão online?

E também temos as hipóteses secundárias a confirmar:

O preço de venda deve aceitar o markup de no mínimo 200%. Isso é essencial devido ao alto custo de aquisição de clientes online.

► O custo total de aquisição de clientes deve ser abaixo de 25% do total das receitas de vendas.

Se de todo não for possível para você validar as hipóteses, aceite as hipóteses como verdadeiras. Elas são o melhor que você tem neste momento. E também:

“Nenhum plano sobrevive ao campo de batalha”

No momento seguinte do contato do plano de negócios com o mercado você terá que adapta-lo.

Então, em negócios onde há muitas hipóteses a confirmar, planeje o mínimo possível para entrar em ação.

Ou, no máximo, planeje o minimo para atingir seu objetivo com um investidor, incubadora ou sócio.

AVISO: Se você seguir adiante e decidir implementar o plano de negócios, imobilize o mínimo de capital possível até que você consiga validar as hipóteses mais importantes.

No Método FÁCIL você encontra uma sessão detalhada sobre como diminuir os riscos ao iniciar seu próprio negócio.

2. A Ordem de Preenchimento do Plano

Geralmente, tentamos fazer o plano de negócios do começo para o fim. Ao tentar fazer assim você percebe que não tem como preencher todas informações de forma linear. Isso porque muitas informações dependem de outras que estão mais adiante na sequência do plano.

Sem contar que o sumário executivo, a primeira sessão do plano, só pode ser preenchida depois que você definir todo o plano. Imagine você ter que redigir o índice definitivo de um livro antes de escrevê-lo. Certamente ao final do livro você teria que rever todo o índice.

Então, o sumário executivo é a última sessão do plano de negócios a ser preenchida.

“A Leitura de um Plano de Negócios é Linear, a escrita Não.”

Dica prática: Não há maneira correta de preencher o plano de negócios. Vá preenchendo à medida que você conseguir as informações e em pouco tempo ele estará completo.

E revise o plano de negócios sempre que alguma variável mudar, para ver se o plano continua fazendo sentido.

3. Conhecimentos Multidisciplinares

Os Desafios do Plano de Negócios
Os Desafios do Plano de Negócios

Uma das dúvidas mais comuns dos empreendedores é: “Minha Ideia De Negócio Vai Dar Lucro?” Infelizmente não é possível responder esta pergunta com um simples “sim” ou “não”.

Antes, é preciso fazer muito cálculos financeiros, baseados no estudo do mercado e nas hipóteses que criamos, para se chegar à previsão de lucro (ou não) da ideia de negócio. É o chamado plano financeiro, uma das partes do plano de negócios.

Muitas ideias de negócios ruins são eliminadas apenas com os cálculos financeiros, antes mesmo de fazer qualquer investimento no negócio.

Acontece que para criar o plano financeiro você precisa de conhecimentos em diversas disciplinas.

Conhecimentos Necessários Para Criar O Plano Financeiro:

  • Direito trabalhista. Para calcular o valor dos encargos trabalhistas, férias e décimo terceiro pagos ao trabalhador.
  • Direito empresarial e tributário. Para escolher a melhor forma de legalização e de tributação da empresa.
  • Contabilidade. Para fazer cálculos de depreciação, custos fixos e variáveis, calcular o caixa mínimo, capital de giro e o investimento inicial e montar a demonstração do resultado – DRE
  • Administração de estoques. Para entender e planejar o giro do estoque, estoque mínimo e o estoque inicial.
  • Matemática financeira. Para calcular e entender como as compras e a política de vendas a prazo influenciam o capital de giro. E também para fazer muitos outros cálculos.
  • Análises financeiras. Para calcular o tempo de retorno do investimento, a lucratividade do negócio, a rentabilidade do investimento, planejar o fluxo de caixa, descobrir a máxima exposição do caixa, o ponto de equilíbrio, a TMA, o VPL e a TIR.

UFA!

Algumas das disciplinas acima podem ter outros nomes ou até serem aprendidas no estudo de outras matérias. Mas, a verdade, é que são muitos conhecimentos condensados para se extrair a informação de que vale ou não a pena iniciar o negócio.

Isso faz com que muitos empreendedores não consigam criar o plano financeiro e chegar a uma resposta clara, objetiva sobre sua ideia de negócio. E ainda pior, algumas vezes estes cálculos financeiros são feitos incorretamente, gerando falsas esperanças e causando prejuízos.

O Problema do Plano Financeiro:

“É quase impossível para alguém que não é um especialista em finanças fazer estes cálculos de viabilidade corretamente.”

→ A Boa Notícia: Você pode usar uma ferramenta como o nosso simulador de negócios para realizar todos estes cálculos automaticamente, apenas preenchendo os espaços vazios.

Ao final você terá uma tela como esta abaixo, mostrando os detalhes da sua ideia de negócio ↓↓↓

Simulador De Negócios: Parte do Kit Como Abrir Um Negócio
Simulador De Negócios: Parte do Kit Como Abrir Um Negócio

O Plano de Negócios de Uma Franquia

Ano passado, ao analisar para um cliente a viabilidade da compra de uma franquia, notei algumas inconsistências no plano financeiro fornecido pela franquia.

Os impostos não estavam sendo calculados corretamente e isso fazia o lucro ser muito maior do que o lucro realmente possível naquelas condições.

Resumindo a história, o empreendedor estava prestes a investir R$ 300 mil reais esperando ter um lucro que estava baseado em cálculos errados. Ou seja, não iria acontecer!

O Plano de Negócios de Uma Farmácia

Alguns meses atrás, uma pessoa próxima pediu para eu analisar a compra de uma farmácia no valor de R$ 433 mil, inclusive, parte do investimento já estava com projeto de financiamento aprovado pelo banco. E novamente, os cálculos de lucratividade estavam incorretos.

Por que estou te contando isso?

Para que você veja a importância de se fazer CORRETAMENTE os cálculos de investimento, capital de giro e lucratividade do negócio. E ainda, para que você não aceite qualquer proposta de negócio sem antes fazer seus próprios cálculos financeiros. ; -)

“Seja para comprar uma franquia, uma máquina ou uma empresa, faça seus próprios cálculos de viabilidade”.

Voltando à necessidade de ter conhecimento em diversas disciplinas para criar o plano de negócios, devo lembrar que eu citei apenas o plano financeiro. Ao todo o plano de negócios tem sete áreas principais.

Então, você precisará de muitos outros conhecimentos além dos citados para criar sozinho um plano de negócios consistente!

O Que Compõe Um Plano de Negócios?

Plano de Negócios Resumido
Mapa Mental Do Plano de Negócios Resumido

Dentro de um plano de negócios você tem basicamente sete áreas:

  1. Sumário Executivo – Como o nome diz, é um resumo da sua ideia de negócio.
  2. A Empresa – É onde você descreve os principais aspectos da empresa, como: sócios, tributação e localização.
  3. Produtos – Aqui você detalha qual será seu produto ou serviço e como ele resolve um problema pelo qual as pessoas estão dispostas a pagar pela solução.
  4. Estratégia – O modo como você conseguirá vencer a concorrência.
  5. Marketing – Os quatro P’s estão aqui: Preço, produto, ponto e promoção.
  6. Operações – Todas as atividades necessárias para atingir o objeto do plano de negócios.
  7. Finanças – A resposta se é ou não uma boa ideia investir no negócio está aqui.

Cada uma destas áreas é subdividida em outras áreas para as quais vários conhecimentos, pesquisas e análises são exigidas para criar um plano de negócios consistente e descobrir se o negócio mesmo vale a pena. Como vimos no item anterior.

Pesquisa de Mercado no Plano de Negócios

Em outro exemplo, para descobrir se existe mesmo mercado consumidor suficiente para fazer sua ideia de negócio valer a pena, você precisa descobrir o tamanho do mercado consumidor e qual parcela deste mercado você vai conseguir tomar da concorrência.

E para isso, você precisa de outras ferramentas de apoio como a pesquisa de mercado. Esta pode ser primária ou secundária.

Na primária você pesquisa direto na fonte. Ou seja, interage direto com as pessoas envolvidas para extrair informações. Já na pesquisa de mercado secundária, você vai pesquisar dados já existentes em outros locais, como:

  • No IBGE,
  • Em associações de classe,
  • No SEBRAE, dentre outros.

De acordo com o tipo de negócio você vai ter que decidir se vale mais a pena fazer uma pesquisa com possíveis clientes (prospects, leads ou avatar, como muitos preferem dizer) ou se é melhor fazer uma pesquisa de concorrência.

Então, não basta aprender como fazer um plano de negócios. No nosso exemplo, neste ponto, você já precisaria saber como fazer uma pesquisa de mercado, ou de concorrência, e descobrir como calcular a parcela de mercado (market share em inglês).

Não estou dizendo que é difícil ou que não dá para montar seu plano de negócios, só estou aumentando seu nível de consciência para o que vem pela frente. Assim você já estará preparado quando estiver face a estes obstáculos. ; -)

Clique Na Imagem Para Baixar o Mapa Mental Completo do Plano de Negócios  Em Alta Resolução

Baixe o mapa mental completo do plano de negócios!
Plano de negócios: mapa mental com o processo completo

O Tamanho do Plano de Negócios

Lembre se de que ao fazer um plano de negócios, alguém vai lê-lo. Então, mantenha um tamanho que ainda assim seja atrativo para um investidor, um gerente de banco ou futuro sócio ler.

Guy Kawasaky, no seu livro “The Art Of The Start”, sugere como tamanho máximo 20 páginas. E completa, quanto menor o seu plano, mais chances ele tem de ser lido.

Embora esta sugestão de tamanho máximo sirva de referência, acredito que o tamanho ideal é o tamanho que atende seu objetivo com o plano de negócios.

Foque no essencial, mantenha o plano de negócios atraente e fundamente as projeções financeiras em sólidas análises do mercado.

“Um plano de negócios sem uma sólida análise e fundamentação no mercado é pura ficção!”

Aqui vão algumas dicas práticas para criar seu plano de negócios:

  • Não use gírias, jargões técnicos e siglas. Não há como saber se o leitor conhece estas expressões.
  • Use linguagem simples e direta. Prefira “use” ao invés de “utilize”.
  • Use listas como esta. Listas são ótimas para tornar o texto mais leve e compreensível.
  • Não use sentenças longas e complicadas, a não ser que elas sejam essenciais para o entendimento do conteúdo.

Plano de Negócios Para Incubadoras, Investidores e Instituições Financeiras

Você pode ter diferentes adaptações do plano de negócios de acordo com o seu objetivo e com o leitor do plano. Você pode variar a profundidade e até cortar partes inteiras do plano de negócios.

Se você vai apresentar o plano de negócios a um investidor, tenha certeza de deixar clara todas as projeções financeiras e como você chegou a elas.

Caso você vá apresentar o plano de negócios a uma incubadora de negócios, ela estará mais interessada em como seu negócio vai gerar valor para o meio onde ele estará inserido.

Muitos bancos tem seus próprios modelos de plano de negócios.

Se você pretende conseguir um financiamento, fale com seu banco antes de iniciar o plano.

Já um banco quer saber como você conseguirá pagar o empréstimo. Algumas linhas de créditos, como a do PROGER, por exemplo, estão interessadas também na capacidade de geração de empregos do seu futuro negócio.

Lembre se: Casa um destes leitores está buscando por respostas para apoiá-lo ou não. Então, forneça as repostas e não aprofunde em áreas que não são importantes para o leitor alvo.

Vale A Pena Criar Um Plano de Negócios?

Alguns autores defendem que a única utilidade de plano de negócios é para mostrar a possíveis parceiros (equipe, investidores, instituições financeiras, etc.).

Outros afirmam que criar um plano de negócios vale a pena apenas pelo exercício da atividade em si. Montar seu plano de negócios ajuda a conhecer do negócio, a entender como cada membro do time se enquadra ou não na futura empresa e a exercitar o trabalho em equipe.

Acredito que esta opinião, diminuindo a necessidade de ter um plano de negócios, está diretamente ligada ao tipo de negócio que estes autores costumam analisar, criar e mentorar: as startups.

Plano de Negócios Para Startups

Uma startup, por definição, é um negócio criado com alto grau de incerteza. Isso quer dizer que muitas das hipóteses das quais falamos acima precisarão ser confirmadas para o negócio dar certo.

É tamanha a incerteza nas startups que muitas delas são criadas inicialmente com um modelo de negócios e no caminho se transformam em negócios totalmente diferentes.

A repulsa ao plano de negócios, a meu ver, se dá pelo fato dele perder valor na medida em que o negócio muda de rumo. E isso acontece quando uma hipótese não é confirmada, o que é comum nas startups.

As operações, por exemplo, são descartadas quase que por completo. As projeções financeiras, feitas em cima de suposições de mercado, se não confirmadas, também não tem utilidade. E com isso o plano de negócios seria todo inutilizado.

O Modelo de Negócios Em Substituição ao Business Plan?

Ao invés de perder tempo e energia criando um plano de negócios que será descartado, estes autores sugerem uma abordagem prática do negócio num ciclo de criação, testes e aprendizado.

Para o planejamento, em substituição do plano de negócios, estes autores sugerem o canvas do modelo de negócios, que é uma ferramenta muito mais simples, visual e prática.

No entanto, o canvas deixa muitas lacunas que o plano de negócios consegue preencher. Não vou me aprofundar na discussão pelo pouco espaço deste texto.

→ Clique a seguir para conhecer o canvas do modelo de negócios.

Afinal, qual dos dois usar, o plano de negócios ou o modelo de negócios?

Na minha opinião, usa se os dois. O canvas do modelo de negócios deve ser utilizado em um momento anterior ao plano de negócios. Como eu mostro nesta imagem abaixo retirada do Método FÁCIL ↓↓↓.

Método FÁCIL para Criação de Negócios
Ciclo do Método FÁCIL para Criação de Negócios

Voltando a questão: vale a pena criar um plano de negócios?

Nos negócios com alto grau de incerteza, pelo menos inicialmente, antes de testar as hipóteses principais, concordo que não vale a pena. É perda de tempo escrever o plano de negócios.

Para negócios convencionais para os quais já conhecemos a existência de demanda, podemos estudar a concorrência e as principais hipóteses já foram confirmadas por outras empresas, é indicado fazer o plano de negócios.

Claro, respeitando a necessidade ou não de se aprofundar em partes do plano. Para muitos pequenos negócios, basta criar o plano financeiro mostrando quanto você vai precisar vender para pagar todos os gastos do negócio, bancar sua retirada mensal de pro-labore e lucrar.

A Profundidade do Plano de Negócios

Diferentes tipos de negócios podem ter planos de negócios mais ou menos detalhados e com diferentes áreas de foco. Por exemplo:

Plano de Negócios Para Franquias

Altamente recomendado. Dê atenção especial a como a franquia estabeleceu as premissas de vendas. Confronte estas premissas com as vendas realizadas por outras unidades da franquia em cidades semelhantes a sua.

Através da COF (circular de oferta de franquia) você obtém estas informações. Embora algumas franquias relutem em lhe fornecer, por lei, você tem direito de acesso à COF.

Por fim, faça os cálculos de viabilidade baseado nos gastos, previsão de vendas e investimento para checar se os números fornecidos pela franquia estão corretos.

Plano de Negócios Para Startups

Como vimos acima, pelo grau de incerteza não é viável, a princípio, fazer um plano de negócios convencional, detalhado.

Mas, é claro, você precisa ter um planejamento, precisa estabelecer as principais hipóteses a confirmar, criar maneiras de testar as hipóteses e precisa ter indicadores específicos para avaliar a evolução dos testes.

Plano de Negócios Para Analisar a Compra de Pequenas Máquinas

Recomendado. Você pode fazer um plano de negócios simplificado focando apenas nos processos de produção (custos de manutenção, capacidade produzida, custos de produção), no plano de vendas e na viabilidade do investimento.

Aqui você vai ter que encontrar uma maneira de fazer um plano sozinho ou contratar apenas uma ou duas horas de consultoria para orientar você, já que não vale a pena contratar a elaboração de um plano de negócios completo.

Exemplos: analisar a viabilidade de comprar máquina de sorvete, máquina de assar frangos, máquina de estampar camisetas, carrinho de churrasco, etc.

Plano de Negócios para Negócios Tipo Renda Extra, Autônomos E Micro Negócios

Não vale a pena. Nestes tipos de negócios o investimento é zero ou bem pequeno, então, o risco é bem baixo. Por isso, planeje o mínimo e coloque a mão na massa.

Negócios inclusos nesta sessão:

  • Revenda de mercadorias consignadas,
  • Prestação de serviços onde o principal recurso é o seu tempo,
  • Fabricação e revenda à vista de alimentos,
  • Serviços autônomos de corretagem,
  • Compra e revenda à vista de mercadorias, etc.

No máximo, calcule os custos básicos, o investimento inicial e quanto você pretende ganhar. Depois encontre maneiras de vender os produtos ou serviços. No final do dia, veja se tudo aconteceu de acordo com o planejado e no dia seguinte faça melhor.

Plano de Negócios  Para Negócios Independentes

Recomendado. Aqui entram as prestadoras de serviços, comércios e fábricas. Vale observar a questão do custo benefício.

Consultores especializados cobram por hora, então o preço do plano de negócios vai variar. No entanto, os melhores consultores que eu conheço cobram acima de R$ 9 mil reais pra criar um plano de negócios.

Por isso, o valor do investimento, o risco do negócio e o custo do plano de negócios deve ser considerado na hora de decidir se contrata ou não alguém para fazer um plano de negócios com você.

Isso mesmo, com você. Um bom consultor vai envolver você em todo o processo. Afinal, depois da saída do consultor você precisará conhecer do negócio para gerenciá-lo.

Vale a Pena Contratar Um Consultor Para Ajudar Você  a Criar o Plano de Negócios?

A recomendação em contratar ou não ajuda especializada para criar um plano de negócio depende basicamente de três fatores:

  • Valor a ser investido na empresa. Quanto maior o investimento inicial, maior é o risco que você corre.
  • Risco do investimento. Quanto mais arriscado, mais provável você perder suas economias.
  • A proporção entre o custo do plano de negócios e os dois primeiros.

O Risco do Negócio e a Perda Média Em Caso de Falência

A taxa de mortalidade atual das empresas, segundo a última pesquisa, subiu para 45% em dois anos de funcionamento. Isso quer dizer que quase metade das empresas fecham as portas em dois anos.

E também, uma pesquisa do SEBRAE SP revelou que a perda média gerada por uma empresa falida é de R$ 57 mil. Há empresários que perdem R$ 100 mil, R$ 200 mil, mas também há os que perdem R$ 10 mil, R$ 20 mil reais. Enfim, a perda média é de R$ 57 mil reais.

Não posso lhe dizer em quanto por cento um bom plano de negócios aumenta as chances de sobrevivência de um negócio. Mas eu posso lhe garantir que a ajuda de um profissional qualificado aumenta bastante suas chances de sucesso.

Ou, o que é bastante comum, ajudará você a eliminar uma ideia de negócio ruim antes de investir seu dinheiro.

O Custo Benefício de se Contratar Um Plano de Negócios

Dito isso, se você vai investir R$ 30 mil reais em um negócio com risco de quebrar de 45% em dois anos, você está desperdiçando, na prática, R$ 13,5 mil.

Então, pagar abaixo disso em um plano profissional ainda é inteligente, mesmo para um negócio com investimento de R$ 30 mil.

Dá uma olhada no gráfico abaixo comparando o valor do investimento, o risco e o custo do plano de negócios que eu criei para exemplificar meu pensamento:

Gráfico do Custo x Benefício do Business Plan

Gráfico plano de negócios
Gráfico plano de negócios: Relação entre valor do investimento, risco do negócio e a indicação de contratar um consultor.

Note que quanto maior o valor do investimento e o risco do negócio, mais indicado é a contratação de um consultor especializado para ajudar você. Isso porque o custo do plano de negócios fica proporcionalmente baixo na medida em que o investimento aumenta.

Por exemplo, na posição quatro, em amarelo, o plano de negócios representa apenas 9% do total do investimento. Considerando o risco de perder R$ 45 mil, parece uma ótima opção contratar ajuda profissional para fazer seu plano de negócios.

Se você precisar de ajuda para criar um plano de negócios, preencha este formulário e aguarde contato meu ou de alguém da nossa equipe.

Caso você queira fazer seu plano de negócios sozinho utilizando de ferramentas profissionais, veja o Kit Como Abrir Um Negócio.

Lá você tem um e-book ensinando como criar um plano de negócios, um template de plano de negócios para você preencher e um pacote de planilhas automatizadas para realizar os cálculos de viabilidade automaticamente. Saiba mais.

Antes de Você Começar a Escrever Seu Plano de Negócios

Responda Estas Questões:

  1. Que serviço ou produto seu próprio negócio ira fornecer? Qual necessidade ele preenche?
  2. Quem são os potenciais clientes para seu produto ou serviço?
  3. Porque eles comprarão estes produtos / serviços de você?
  4. Como você alcançará a seus clientes potenciais?
  5. Caso não possua, onde você ira conseguir recursos financeiros para iniciar seu próprio negócio?
  6. Você realmente quer desistir do seu tempo livre e se dedicar totalmente à sua empresa?
  7. Você irá tocar seu negócio todos os dias ou apenas algumas vezes?
  8. Sua família o apoia e irão ajudá-lo na abertura do seu próprio negócio?

Sugestão de Roteiro Para Criar Seu Plano de Negócios

Como dito alguns parágrafos acima, não há uma sequência padrão para fazer um plano de negócios. O que existe é uma sequência mais lógica.

Roteiro Sugerido Para Um Plano de Negócios:

  1. Começar pelo conhecimento e análise do mercado,
  2. Estabelecer premissas de mercado (produtos, tamanho do mercado e a parcela que você vai conseguir tomar da concorrência, preços e quantidades vendidas),
  3. Seguir para os cálculos de viabilidade do negócio,
  4. Validar as premissas estabelecidas no item dois. As que foram possíveis de validar.
  5. Rever todo o plano de negócios baseado na confirmação ou não das premissas.
  6. Por último preencher o sumário executivo.

Peço desculpas pelo tamanho do texto, mas foi preciso pela complexidade do tema plano de negócios.

Espero que você tenha gostado!

Pronto Para Começar seu Plano de Negócios? Comente!