Como abrir um abatedouro de suínos

Como abrir um abatedouro de suínosA carne de porco é a mais consumida no mundo. O Brasil, quarto maior produtor em 2007 representou um grande aumento na produção de carne suína em relação aos anos passados. E cada vez mais empreendedores começam negócios relacionados a um abatedouro de suínos, que tem como base a produção de carne de porco para fins alimentícios.

Por seu sabor inconfundível, a carne de porco ganhou muitos admiradores no passado, o que se perpetua até hoje, mesmo com os múltiplos problemas que estão sendo descobertos na saúde de pessoas que consumem erroneamente o alimento.

O abatedouro de suínos precisa de instalações e equipamentos que organizem a produção e facilitem e garantam a higiene. Os órgãos sanitários frequentemente visitam os abatedouros suínos para saberem se as normas estão sendo todas cumpridas e o ideal é que esteja tudo nos conformes para evitar problemas, multas e assegurar a saúde da população que consome a carne suína.

Abatedouro de Suínos – O Abate

Várias fases compreendem o abate de suínos, sendo todas feitas de forma a preservar a qualidade da carne, mantendo a higiene e as formas preventivas. Para transportar e embarcar os porcos até o abatedouro de suínos muitas mudanças podem acontecer e acarretar alguns problemas sérios ao criador, comprador ou frigorífico devido a lesões que podem acontecer nos animais, perda de peso, diminuição da qualidade da carne e a morte de animais.

Abatedouro de Suínos – Recepção

Os porcos são colocados em caminhões para serem transportados até o abatedouro de suínos e através de rampas vão para pocilgas de recepção. Há então um processo de inspeção dos animais, que devem estar separados por lote de acordo com a procedência, mas ainda permanecem nas pocilgas em repouso e jejum por cerca de 16 a 24 horas.

Sua Ideia de Negócio é Lucrativa?

Saiba quais são as 4 Perguntas Poderosas que podem salvar seu negócio antes mesmo dele ser criado. Evite cometer os ERROS COMUNS dos empreendedores de primeira viagem. Saiba mais...

PS: No final eu apresento uma ferramenta que pode triplicar suas chances de sucesso com um negócio próprio. Clique aqui!.

 

A intenção é recuperar estes animais do estresse do transporte, diminuindo o conteúdo do estômago e intestino. Os suínos passam por este período de descanso que acontece antes do abate melhorando ainda a qualidade da carne, devido aos níveis de substâncias presentes no sangue. Antes do abate, o jejum é de 8 horas.

Para uma pré-lavagem do couro dos suínos pode-se salpicar um pouco de água sobre os animais, o que auxilia no processo antiestresse também. Desta forma, os animais separados na inspeção sanitária são separados entre sadios ou não.

Depois de entregá-los aos caminhões, estes são limpos para que haja a higienização com retirada de urina, fezes e outras secreções. As pocilgas também devem estar rigorosamente limpas, removendo todo o esterco e sendo lavadas posteriormente com produtos específicos.

O abatedouro de suínos requer muitas precauções e uma série de etapas para desenvolvimento de um trabalho satisfatório e o empreendedor que busca montar um negócio como este deve ficar de olho nestes detalhes, que na verdade fazem bastante diferença na prática.

Abatedouro de Suínos – Insensibilização

Antes da insensibilização no abatedouro de suínos, deve-se conduzir os animais para uma lavagem com jatos d’água com cloro de cima pra baixo ou de baixo para cima com água com 1 atm de pressão em média de 3 minutos.

Após isso, o ideal é promover a inconsciência dos suínos antes do abate, e isso é geralmente feito no Brasil através de choque elétrico de alta voltagem e baixa amperagem. Este processo é feito atrás das orelhas do animal, nas fossas temporais, realizado por marreta, gás carbônico ou pistola pneumática, denominando-se insensibilização.

Quanto ao choque, este dura cerca de 6 a 10 segundos e depois o animal é preso por uma das pernas a um transportador aéreo.

Abatedouro de Suínos – Sangria

Se há uma etapa do abatedouro de suínos que precisa de rapidez e precisão, esta é a sangria. Após a insensibilização, o processo deve acontecer em, no máximo, 30 segundos, seccionando os grandes vasos ou por punção direta no coração com retirada do sangue para reaproveitamento.

Os animais ficam presos em um trilho aéreo para a drenagem do sangue e, em média, o volume total obtido com a técnica é de cerca de 3 litros. Parte desse sangue pode ser direcionado para a indústria farmacêutica utilizar na fabricação de seus produtos ou pode ser totalmente enviado para tanques para processamento e separação de componentes para o uso em rações de animais.

Depois da sangria, há um banho de aspersão novamente e, em seguida, os porcos são enviados para as próximas etapas do abatedouro de suínos: a escaldagem e a depilação.

Abatedouro de Suínos – Escaldagem e Depilação

A escaldagem é feita em tanques metálicos com água sendo renovada constantemente, facilitando a remoção posterior dos pelos, unhas e cascos para a retirada da parte suja do couro dos animais.

Isso é feito com os suínos saindo do trilho e sendo imersos em água quente a mais ou menos 65ºC. A passagem por este processo de escaldagem dura de 2 a 5 minutos, dando entrada agora no processo de depilação.

Abatedouro de Suínos – Depilação

A depilação é a remoção dos pelos, inicialmente em máquinas específicas para isso. Este equipamento possui cilindros e sua rotação provoca certo impacto das pás com o couro dos suínos, fazendo a remoção dos pelos por atrito.

Depois disso, manualmente e com o auxílio de facas, faz-se a depilação manual para a retirada daqueles pelos que não saíram a partir da máquina. Aproveita-se e retiram-se os cascos e unhas dos suínos também com a faca e, posteriormente, deve ser feito o chamuscamento da carcaça, com o auxílio do bico de gás.

Abatedouro de Suínos – Evisceração

A carcaça é aberta desde o pescoço até a região inguinal. É chamado de evisceração e a abertura deve acontecer com auxílio da faca. O objetivo é retirar as vísceras (órgãos) dos suínos.

Um cuidado muito importante deve ser tomado pelo abatedouro de suínos nesta hora: deve-se amarrar o ânus e a bexiga dos suínos para que não haja contaminação da carcaça. Então, as vísceras serão retiradas manualmente, lavadas e estocadas em câmaras frigoríficas.

Para o osso do peito, a abertura deve ser feita com serra para a remoção do coração, fígado e pulmões. Pode haver ou não a retirada das cabeças e as vísceras devem ser colocadas em bandejas da mesa de evisceração para separação, inspeção e encaminhamento para o processamento, de acordo com a inspeção realizada.

Os intestinos geram a produção de tripas, normalmente salgadas, e são utilizadas para a fabricação de embutidos e também como aplicações médicas.

Corte, toalete, pesagem e refrigeração do Abatedouro de Suínos

A maneira ideal de serragem da carcaça é a forma longitudinal, após a retirada da cabeça. É serrada ao meio pela coluna vertebral para remover a medula.

O cérebro dos animais e as carcaças são limpas com facas e encaminhadas para refrigeração com temperaturas ideais para que sejam conservadas no abatedouro de suínos.

Abatedouro de Suínos – Outros Usos

O abatedouro de suínos tem diversos usos e, como já foi dito, o principal é a alimentação. Porém, o couro do porco é muito utilizado na indústria da moda e da decoração e este mercado cresce a cada dia, proporcionando ao empreendedor de abatedouro de suínos um novo público-alvo para fazer negócios.

O empreendedor do abatedouro de suínos deve fazer pesquisas para perceber as melhores formas de chegar ao consumidor e investir em propagandas direcionadas, de forma contínua e estratégica.

3.67 avg. rating (74% score) - 3 votes

 

► Dica Importante!


Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Estude em livros, contrate uma consultoria, use o Kit Como Abrir Um Negócio, enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!


 

DEIXE UMA RESPOSTA