Jesse de Andrade: das carnes ao Josephine

Jesse de Andrade
Jesse de Andrade

Uma boutique de carnes que virou uma lanchonete e que acabou em um restaurante. Essa é a história resumida do Josephine Bistrô, aberto em 2006. Mas, essa mudança no rumo dos negócios só foi possível porque Jesse de Andrade, o nome por trás desses empreendimentos, não teve medo.

Jesse investiu pesado no seu sonho e ganhou a confiança do público. Com a demanda aumentando, foi adaptando o seu negócio e atualmente o Josephine Bistrô figura na lista dos restaurantes com a varanda mais disputada da capital paulista e conta, em seu interior, com um jardim inspirado nas mais belas praças italianas. Com todo esse charme, o sucesso contínuo já era de se esperar.

O empresário se dedica integralmente ao restaurante. Planos de abrir outra unidade ou franquear não passam pela cabeça. “Acredito que com mais unidades do Josephine Bistrô, não consigo dar a mesma atenção aos meus clientes, o que é primordial”, diz Jesse.

E, para Jesse, o cliente é o pilar do negócio. “Costumo dizer que não sou dono de restaurante, eu cuido do restaurante para os meus clientes”, observa o empresário que está sempre em busca de novidades para agradar àqueles que passam pelo Josephine.

Nessa entrevista ao Novo Negócios, Jesse de Andrade conta como um pequeno negócio de bairro foi se adaptando até virar um renomado restaurante e fala sobre os erros e acertos da sua jornada. Confira:

Sua Ideia de Negócio é Lucrativa?

Saiba quais são as 4 Perguntas Poderosas que podem salvar seu negócio antes mesmo dele ser criado. Evite cometer os ERROS COMUNS dos empreendedores de primeira viagem. Saiba mais...

PS: No final eu apresento uma ferramenta que pode triplicar suas chances de sucesso com um negócio próprio. Clique aqui!.

 

Novo Negócio – Como uma boutique de carnes se transformou em um restaurante de renome?
Jesse de Andrade – Minha história começou em 1982 quando surgiu a oportunidade de montar um negócio próprio. Fui inspirado pelo meu cunhado, que possuía uma rede de casas de carnes, achando o segmento interessante, abri um açougue na Rua Barão de Capanema, no Jardim Paulista. O retorno foi rápido e em um ano ele já obteve o valor investido. Como os clientes começaram a pedir cortes personalizados de carnes, eu percebi que podia transformar o açougue em uma casa de carnes nobres. Passei então a vender pacotes com quantidades específicas e etiquetas identificando o tipo de corte e qual a maneira apropriada de usá-lo. Para atender à clientela seletiva e exigente mudei tudo no açougue, desde o atendimento que passou a ser mais personalizado até o uniforme de seus funcionários. Eu era pioneiro no setor de carnes nobres, minha preocupação em atender bem e oferecer produtos de qualidade fez fama e a Central de Carnes Nobres Flórida ampliou seu atendimento. Eu também optei em fazer anúncios em revistas e jornais, folhetos e coloquei faixas nas ruas divulgando o negócio. Com o sucesso do empreendimento abri mais quatro casas: três no Jardim Paulista e uma na Vila Nova Conceição. Em 2000, transformei a casa de carnes nobres na Vila Nova Conceição em uma lanchonete, batizada de Josephine. Servia lanches elaborados e um cardápio de saladas, até que seis anos depois, o Josephine virou um restaurante.

Novo Negócio – Adaptar uma casa de carnes até chegar a um bistrô foi um trabalho e tanto. Por que decidiu mudar o rumo do negócio?
Jesse de Andrade – Vi uma oportunidade de negócio, já que estava em frente a um respeitado colégio, com um público muito selecionado, decidi mudar o foco do empreendimento, transformei a casa de carne em lanchonete e depois restaurante, investi o meu próprio bolso, e o resultado não poderia ser mais positivo. Hoje, o Josephine completa 15 anos e atrai milhares de pessoas por mês. Virou ponto de encontro para almoços, happy hours e jantares tanto para negócios ou simplesmente para encontrar amigos e reunir a família. O local é frequentado por celebridades como a apresentadora Daniela Cicarelli, o piloto Felipe Massa, o jornalista César Tralli com a namorada Ticiane Pinheiro, a blogueira fitness Gabriela Pugliesi, entre outros famosos.

“Se cheguei onde estou, foi por muita determinação e sempre pensando bem em cada passo dado”.

Novo Negócio – Você já tinha essa mudança em mente ou foi acontecendo para acompanhar o mercado e o cenário que te rodeava?
Jesse de Andrade – Acredito que tenha um perfil inovador e com gana de crescer cada vez. Sempre fui muito ponderado e nunca dei um passo maior que a perna. A sorte também sempre esteve ao meu lado. Mesmo em épocas que o cenário econômico difícil, consegui construir uma clientela fiel e que gosta de vir aqui. O Josephine cresceu meio a casas luxuosas e é frequentado por uma clientela de alto poder aquisitivo.

Novo Negócio – Foi uma mudança difícil? Quais foram os maiores empecilhos?
Jesse de Andrade – A parte mais complicada foi em relação a lei de zoneamento. Quando abri a lanchonete, já queria ter aberto o restaurante, mas naquela época, a lei não permitia um restaurante no local, então não conseguia estender o cardápio. Só depois com as mudanças da lei de zoneamento na região, consegui finalmente dar continuidade a restaurante.

Novo Negócio – Quais foram seus principais erros e acertos nessa jornada empreendedora?
Jesse de Andrade – Todo negócio é passível de acertos e erros. Sempre acreditei e acredito que devemos aprender com os erros e corrigi-los. Um bom empreendedor tem que ter a percepção e fazer manobras para não errar. Se acontecer, mude. Sem medo.

Novo Negócio – Você está sempre atento ao mercado, reinventando pratos, fazendo mudanças no bistrô. De onde vem sua inspiração?
Jesse de Andrade – Claro! Um empreendedor deve estar sempre atento a tudo. Eu também sou cliente e frequento outros restaurantes no Brasil e no exterior. Observo muito o atendimento, organização e ambiente dos outros lugares. Como dizia o Chacrinha, “nada se cria, tudo se copia”, eu pego algumas ideias, ouço clientes e adapto ao estilo Josephine. Embora tenha um cardápio fixo, e que os clientes adoram e reclamam se muda, faço alguns festivais temáticos, ou pratos sazonais. Ano passado fizemos um de brigadeiro de colher que foi um sucesso! Este ano fizemos um de verão com pratos vegetarianos.

Novo Negócio – Podemos dizer que, antes de qualquer coisa, você foca no cliente?
Jesse de Andrade – O cliente é a pilastra do negócio. Costumo dizer que não sou dono de restaurante, eu cuido do restaurante para os meus clientes. Por isso a principal meta do Josephine é agradar o cliente, fazendo com que o ele goste a ponto de voltar mais vezes. Quem frequenta o Josephine é porque gosta realmente daqui, pois são clientes com poder aquisitivo alto, e que pode frequentar outros restaurantes tops de São Paulo, mas aqui se sentem a vontade. O cardápio do Josephine Bistrô oferece o melhor da culinária franco contemporânea.

Novo Negócio – Apesar do sucesso do seu bistrô, você não pensa em expandir o negócio por meio de filiais ou até mesmo franquias. Por que?
Jesse de Andrade – Não tenho intenção de expandir meu negócio para filiais e até mesmo para franquias. Acredito que com mais unidades do Josephine Bistrô, não consigo dar a mesma atenção aos meus clientes, o que é primordial. Quero concentrar tudo em um único endereço. Escolher o bairro da Vila Nova Conceição foi uma bela opção e nos deu e continua dando um resultado muito positivo.

Novo Negócio – A que você atribui o sucesso do restaurante? Qual é a sua receita para dar certo?
Jesse de Andrade – Aos clientes, a minha presença constante no restaurante full time, a qualidade de atendimento e menu. Tenho funcionários que trabalham comigo desde a abertura. Ter uma equipe sólida faz a diferença, o cliente se sente seguro.

Novo Negócio – Concentrar forças em um só negócio e estar sempre recriando é uma boa alternativa para o mercado? Por que?
Jesse de Andrade – Faço de questão de estar presente todos os dias no restaurante e ir à mesa de meus clientes para cumprimentá-los e oferecer um serviço personalizado. Os clientes que frequentam aqui percebem e os novos, retornam porque foram muito bem recebidos. No ramo da gastronomia não se pode vacilar. Ouvir o cliente é muito importante. Trate-o bem, que ele sempre irá voltar.

Novo Negócio – Se pudesse repensar sua trajetória de empreendedor e tivesse a oportunidade de mudar algo, o que seria?
Jesse de Andrade – Não mudaria nada. Um conselho que posso dar aos leitores é que não tenham medo de empreender.

Novo Negócio – Quem é Jesse de Andrade e como você se define enquanto empreendedor no Brasil?
Jesse de Andrade – Difícil me descrever, mas sou uma pessoa de muita fé e pro ativa. Sou um bom pai, um ótimo ex-marido e um namorado fiel!!. Pratico tênis no Clube Pinheiros e também vou a academia, afinal, é preciso muito saúde para gerenciar um negócio. Sou ambicioso, mas não tenho grandes ambições, esse meu lado pé no chão me fez crescer muito na vida. Se cheguei onde estou, foi por muita determinação e sempre pensando bem em cada passo dado.

5.00 avg. rating (89% score) - 1 vote

 

► Dica Importante!


Independente do tipo de negócio que você deseja montar é muito importante fazer um planejamento. Estude em livros, contrate uma consultoria, use o Kit Como Abrir Um Negócio, enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!


 

DEIXE UMA RESPOSTA